Lembrar para lembrar e para esquecer: um diálogo possível entre Dickens, Freud e Ricoeur

Ernane Salles da Costa Junior

Resumo


o artigo visar propor um diálogo entre a obra de Dickens e as reflexões de Ricoeur e Freud sobre as representações da temporalidade humana e suas implicações para se pensar o sentido performativo do projeto constituinte de 1988 como processo de aprendizado social. Toma-se como ponto de análise seus personagens literários para se examinar as patologias da memória contidas na relação obsessiva com o passado. A conclusão é de conceber o uso crítico da memória como espaço de experiência e de lição, de responsabilidade e autocorreção como abertura do projeto constituinte, aqui e agora, às vozes recalcadas do passado.


Palavras-chave


Tempo. Memória. Constituição

Texto completo:

PDF

Referências


CATTONI DE OLIVEIRA, Marcelo Andrade. Democracia sem espera e processo de constitucionalização: uma crítica aos discursos oficiais sobre a chamada “transição política brasileira”. In: CATTONI DE OLIVEIRA, Marcelo Andrade; MACHADO, Felipe Daniel Amorim (org). Constituição e Processo: a resposta do constitucionalismo à banalização do terror. Belo Horizonte: Del Rey, 2009.

COSTA JUNIOR, Ernane Salles da. Constitucionalismo do atraso. Belo Horizonte: D’Plácido, 2017.

COSTA JUNIOR, Ernane Salles da. A necessidade de reconhecimento e os limites de uma teoria liberal da justiça, Revista Direitos Fundamentais & Democracia. 2019, v. 14, n. 2.

COSTA JUNIOR, Ernane Salles da. Constituição, tempo e narrativa: da crise da aceleração das mudanças normativas ao seu enfrentamento. Revista Direitos Fundamentais & Democracia. 2013, Jun 4; 13(13):81-106.

COSTA JUNIOR, Ernane Salles da; TAVARES, Fernando Horta; TRUGILHO,Diogo Lima; GOMES, Frederico Fernando Pereira; DE MORAIS, Rane Ferreira Rios Hollanda Cavalcante; PENZIN, Thiago. Responsabilização, Julgamento e Ditadura no Brasil: O Perdão Pode Curar? Revista de Direitos e Garantias Fundamentais, Vitória, n. 6, p. 117-154, 2009.

DICKENS, Charles. Bleak house. London: J. M. Dent, 1949.

DICKENS, Charles. Conto de natal. Santiago: Sociedade Comercial y Editorial Santiago, 1988.

DICKENS, Charles. David Copperfield. 2. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1972.

DICKENS, Charles. Grandes esperanças. São Paulo: Landmark, 2013.

DICKENS, Charles. Oliver Twist. Harmondsworth: Penguin Books, 1966.

FRASER, Nancy. Reconhecimento sem ética. Lua Nova, v. 70, n. 1, p. 101-138, 2007.

FREUD, Sigmund. Luto e melacolia. 1917. Disponível em: Acesso em: 20 de Agosto de 2009.

FREUD, Sigmund. Recordar, repetir e elaborar (novas recomendações sobre a técnica da psicanálise II). 1914. Disponível em: . Acesso em: 21 de Agosto de 2009.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Lembrar escrever esquecer. 1. ed. São Paulo: Editora 34 Ltda., 2006.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. A memória, a história, o esquecimento. In: DE PAULA, Adna Candido; SPERBER, Suzi Frankl (Orgs.). Teoria Literária e Hermenêutica Ricoeuriana: um diálogo possível. Dourados: Editora UFGD, 2011.

HONNETH, Axel. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. São Paulo: Editora 34, 2003.

HONNETH, Axel. Sofrimento de Indeterminação. Uma reatualização da filosofia do direito de Hegel. São Paulo: Editora Singular, Editora Esfera Pública, 2007.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Ed. PUC Rio, Contraponto, 2006.

LEMOS, Tayara Talita. Por constitucionalismo transacional: ditadura, memória, promessa. Belo Horizonte: D’Plácido, 2019

MARRAMAO, Giacomo. Kairós: apología del tiempo oportuno. Barcelona: Gedisa, 2008.

OST, François. O tempo do direito. Bauru, SP: EDUSC, 2005

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Tradução: Alain François. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 2007.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Budapeste, 2003. Disponível em: http://www.uc.pt/fluc/lif/publicacoes/textos_disponiveis_online/pdf/memoria_historia Acesso em 05 de maio 2013.

RICOEUR, Paul. O justo. trad. Ivone C. Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 2008a-v.

RICOEUR, Paul. O perdão pode curar? 1996. Disponível em: Acesso em: 2 de jun. 2009.

RICOEUR, Paul. Tempo e narrativa. Campinas (SP): Papirus, 1997- v. 3

RÜSEN, Jörn. Pode-se melhorar o ontem? Sobre a transformação do passado em História. In: SALOMON, Marlon (Org.). História, Verdade e Tempo, 2011, p. 259-290.

TELES, Edson Luís de Almeida. Brasil e África do Sul: os paradoxos da democracia. Memória Política em democracias com herança autoritária. 2007. 152p. Tese (Doutorado). Universidade de São Paulo. São Paulo.




DOI: http://dx.doi.org/10.18759/rdgf.v20i3.1769

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista de Direitos e Garantias Fundamentais

Licença Creative Commons
Revista de Direitos e Garantias Fundamentais http://www.fdv.br/sisbib/index.php/direitosegarantias está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.