Como abandonar o ninho romântico e voar: construindo uma cultura ironista de defesa dos direitos fundamentais

Daniel Oitaven, Alessandra Scherma Schürig

Resumo


O objetivo geral do artigo é questionar as bases paradigmáticas da cultura contemporânea de defesa dos direitos fundamentais mediante um cotejo entre a metafísica jurídica cômico-romântica do segundo Pós-Guerra e o ironismo cômico de Rorty. O núcleo do referencial teórico é a projeção, realizada por Robin West, dos mitos estéticos listados por Northrop Frye à teoria do direito, possibilitando a exploração da narrativa de "Os irmãos Karamázov” como alegoria para a angústia humana diante do caráter contingente das soluções jurídicas. Concluiu-se que a pós-modernidade demanda uma nova cultura jusfundamental, de caráter ironista (contextualista e falibilista), baseada em confiança e lealdade.

 

 


Palavras-chave


Direitos fundamentais. Comédia romântica jurídica X ironismo. “Os irmãos Karamázov”

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

BARROSO, Luis Roberto. Jurisdição Constitucional: a tênue fronteira entre direito e a política. 2014. Migalhas. Disponível em: https://www.migalhas.com.br/dePeso/16,MI194782,51045-Jurisdicao+Constitucional+A+tenue+fronteira+entre+o+Direito+e+a. Acesso em: ago. 2019.

BAUMAN, Zygmunt. O mal-estar na pós modernidade. Rio de Janeiro: Zahar, 1997.

BIELLA, João Carlos. Um ironismo como outro qualquer: a ironia na poesia de José Paulo Paes. São Paulo: UNESP, 2008.

CAMUS, Albert. O mito de Sísifo. Rio de Janeiro: Best, 2010.

CARNEIRO, Wálber Araújo. Hermenêutica Jurídica Heterorreflexiva. São Leopoldo: Unisinos, 2009.

CARNEIRO, Wálber Araújo. Os direitos fundamentais da Constituição e os fundamentos da Constiuição de direitos: reformulações paradigmáticas na sociedade complexa e global. Revista de Direito da Mackenzie, v. 12, 2018, p. 129-165.

CASCUDO, Luís da Câmara. Três poemas de Walt Whitman. Mossoró: Coleção Mossoroense, 1992.

DOSTOIEVSKI, Fiodor. 2012. Os Irmãos Karamázov. São Paulo: Editora 34, 2012.

FRYE, Northrop. Anatomy of criticism: four essays. Toronto: University of Toronto Press, 2006.

MONK, Ray. Wittgenstein: o dever do gênio. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

NEVES, Marcelo. Transconstitucionalismo. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

RORTY, Richard. Contingência, ironia e solidariedade. São Paulo: Martins Fontes, 2007a.

RORTY, Richard. Dewey and Posner on Pragmatism and Moral Progress. John Dewey Lecture at The University of Chicago Law School, v. 74, 2007b, p. 915-927.

RORTY, Richard. Grandiosidade universalista, profundidade romântica, finitude humanista. In: CRISÓSTOMO, José. Filosofia, Racionalidade e Democracia: os debates Rorty & Habermas. São Paulo : UNESP, 2003, p. 247 e ss.

RORTY, Richard. Objetivismo, relativismo e verdade. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1997.

RORTY, Richard. Pragmatismo e Política. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

RORTY, Richard. Verdade e progresso. Barcelona: Paidós Ibérica S.A, 1994.

SCHÜRIG, Alessandra Scherma. Se a metafísica não existe, tudo é permitido? um diálogo entre a verdade e a contingência diante da pós-modernidade. Dissertação de Mestrado – (Faculdade de Direito da UFBa), 2019.

SHAKESPEARE, William. Ricardo III. São Paulo: Saraiva, 2013.

SILTALA, Raimo. Law, Truth and Reason: a treatise on legal argumentation. Helsinki: Springer, 2011.

TEUBNER, Gunther. “Justiça autosubversiva: fórmula de contingência ou de transcendência do direito?” Revista Eletrônica do Curso de Direito – Puc Minas Serro, 2011.

WEST, Robin. Jurisprudence as Narrative: An Aesthetic Analysis of Modern Legal Theory. New York University Law Review, v. 60 , n. 178, 1985, p. 145-211.




DOI: http://dx.doi.org/10.18759/rdgf.v20i3.1775

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista de Direitos e Garantias Fundamentais

Licença Creative Commons
Revista de Direitos e Garantias Fundamentais http://www.fdv.br/sisbib/index.php/direitosegarantias está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.