[1]
A. K. Trindade e G. G. Alcântara, “Constitucionalismo de ficções: ressentimento e romances de formação do Brasil”, Rev. Dir. e Garantias Fundamentais, vol. 20, nº 3, p. 129-156, dez. 2019.