A abordagem da deficiência em face da expansão dos direitos humanos

Joyceane Bezerra de Menezes, Herika Janaynna Bezerra de Menezes, Abraão Bezerra de Menezes

Resumo


Analisa o modelo social de abordagem da deficiência que é adotado pela Convenção Sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência. Diferentemente do modelo médico, a deficiência passa a ser compreendida como a interação entre a limitação ou o impedimento natural que sofre a pessoa nas suas funções física, psíquica e/ou intelectual e as barreiras sociais. O artigo segue análise qualitativa, pautando-se em pesquisas bibliográficas e documentais que demonstram a mudança de paradigma dos documentos internacionais sobre os direitos humanos, apostando na inclusão da pessoa com deficiência e mitigação das barreiras sociais à sua participação a vida comunitária, social e política.

 

 


Palavras-chave


Modelo social. Deficiência. Convenção sobre os direitos da pessoa com deficiência. Inclusão e igualdade.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, L. A. Pensar a diferença: deficiência. Brasília: CORDE, 1994.

ARISTÓTELES. A Política. Capítulo XIV.- De la educación de los hijos en la ciudadperfecta. Disponível em http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/bk000426.pdf p.71. Acesso em 19 de fevereiro de 2016.

ARANHA, Márcio Iorio; TOJAL, Sebastião Botto de Barros (Org.). Curso de especialização à distância para membros do Ministério Público e da Magistratura Federal: programa de apoio ao fortalecimento do controle social do SUS. Brasília: Faculdade de Direito da UnB, 2001.

ARANHA, Márcio Iorio; TOJAL, Sebastião Botto de Barros (Org.). Curso de especialização à distância para membros do Ministério Público e da Magistratura Federal: programa de apoio ao fortalecimento do controle social do SUS. Brasília: Faculdade de Direito da UnB, 2001.

ASÍS DE, Rafael, et al. (2008), La Convención Internacional sobre losderechos de las personas condiscapacidad y su impacto enelordenamiento jurídico español, Instituto de Derechos Humanos “Bartolomé de las Casas” de laUniversidad Carlos III, en http://www. feafes.org/publicaciones/ConvencionInternacionalordenamientojuridico.pdf. CampoyCervera, Ignacio (2013), Estudio sobre lasituación de laeducación de losniños y niñascondiscapacidadenEspaña, Barcelona, UNICEF Comité Español/Huiguens Editorial.

COSTA, Augusto César de Farias. Direito, saúde mental e reforma psiquiátrica. In: ARANHA, Márcio Iorio; TOJAL, Sebastião Botto de Barros (Org.). Curso de especialização à distância para membros do Ministério Público e da Magistratura Federal: programa de apoio ao fortalecimento do controle social do SUS. Brasília: Faculdade de Direito da UnB, 2001.

FERRAJOLI, Luigi. Los fundamentos de los derechos fundamentales. Madrid: Trotta, 2009.

FOUCAULT, Michel. Os anormais. Trad. Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

_____. História da loucura. São Paulo: Perspectiva, 2009.

JIMENEZ. A. Conceptos y tipologias de ladiscapacidad, documentos y normativos de classificassion más relevantes en LORENZO, R y PEREZ, L.C. (Dir) Tratado sobre discapacidad. Aranzadi. Pamplona. 2007. P. 178.

MACIEL, Maria Eunice de S. A eugenia no Brasil. Disponível em: http://www.ufrgs.br/ppghist/anos90/11/11art7.pdf. Acesso em 19 de fevereiro de 2016.

MAZZUOLI, Valério de Oliveira. O novo § 3o do art. 5o da Constituição e suaeficácia.Revista de InformaçãoLegislativa. A.41., no.167, jul/set/2005, p.103. Disponívelem: . Acessoem: 02/julho/2015.

MENEZES, Joyceane Bezerra de; MOTA, Maria Yannie Araújo. Os limites da política de abrigamento compulsório e a autonomia do paciente usuário de drogas. Civilistica.com. Rio de Janeiro, a. 3, n. 1, jan.- jun./2014. Disponível em: . Acesso em: 22/fev/2016.

MORAES, Maria Celina Bodin. Na medida da pessoahumana. Rio de Janeiro: Renovar, 2010.

PALACIOS, Agustina. El modelo social de discapacidad: orígenes, caracterización y plasmación en la ConvenciónInternacionalsobre los Derechos de las Personas con Discapacidad. Madrid: Cermi, 2008, p.42.

PALACIOS. Agustina y ROMAÑACH, Javier. El modelo de la diversidade. La Bioética y losDerechos Humanos como herramientas para alcanzarla plena dignidade en la diversidad funcional. Diversitas Edicion. Santiago de Compostela, 2006.

PESSOTTI, Isaias. O século dos manicômios. São Paulo: Editora 34, 1996, p.153-154.

PIOVESAN, Flávia. Convenção da ONU sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência: inovações, alcance e impacto. Manual dos direitos da pessoa com deficiência. FERRAZ, Carolina Valença; LEITE, George S.; LEITE, Glauber S. e LEITE, Glauco S. (Coord). São Paulo: Saraiva, 2012.

RODOTÀ, Stèfano. El derecho a tenerderecho. Madrid: Editorial Trotta, 2012.

ROSATO, Ana et all. The Role of the Ideology of Normality in the Production of Disability. In Ciencia, Docencia y Tecnología. Nº 39, Año XX, noviembre de 2009, p.87-105.

NUSSBAUM, Martha C. Fronteiras da Justiça: deficiência, nacionalidade e pertencimento à espécie. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2013.

VIGOTSKY, L. Pensamento y Lenguaje. Paidós, Barcelona, 1985.




DOI: http://dx.doi.org/10.18759/rdgf.v17i2.860

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista de Direitos e Garantias Fundamentais

Licença Creative Commons
Revista de Direitos e Garantias Fundamentais http://www.fdv.br/sisbib/index.php/direitosegarantias está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.