A filosofia política de Charles Taylor e a política constitucional de Pablo Lucas Verdú: pressupostos para a construção do sujeito constitucional

Nelson Camatta Moreira

Resumo


Este artigo trata da aproximação entre a teoria política do reconhecimento, de Charles Taylor, e a teoria do sentimento constitucional, de Pablo Lucas Verdú, como suporte para uma análise crítica da construção da noção de sujeito no constitucionalismo brasileiro. Nesse caminho, além das categorias referidas, aborda também o problema da cidadania na modernidade periférica, com alguns de seus desdobramentos, por exemplo, em especial, a questão da desigualdade social. O principal objetivo do texto não é ofertar respostas absolutas para o problema do sujeito constitucional e sim ajudar a compreender o complexo cenário filosófico-político-jurídico que envolve esse assunto na chamada modernidade periférica.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18759/rdgf.v0i8.25

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista de Direitos e Garantias Fundamentais

Licença Creative Commons
Revista de Direitos e Garantias Fundamentais http://www.fdv.br/sisbib/index.php/direitosegarantias está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.