A tutela da pornografia pela Corte Europeia de Direitos Humanos: uma análise do aspecto da proteção da mulher em situação de violência de gênero

Raisa Duarte da Silva Ribeiro, Renata da Silva Athayde Barbosa, Rodrigo de Souza Costa

Resumo


 Este artigo possui o objetivo de analisar o tratamento destinado à pornografia, como forma de expressão, pela Corte Europeia de Direitos Humanos. Para tanto, verifica se a tutela destinada à este instituto vem sendo realizada dentro de uma ótica de proteção dos direitos humanos das mulheres que se encontram em situação de violência de gênero em razão da pornografia. Num primeiro momento, tratar-se-á da forma como a pornografia e sua distinção em relação a outros institutos semelhantes, cujo principal reflexo é a afetação à mulher, sua percepção de si mesma e pela sociedade, bem como as implicações de tais questões sobre os direitos humanos. Em seguida, se apresenta casos da Corte Europeia de Direitos Humanos envolvendo pornografia, em que será realizada uma análise acerca do tratamento depreendido pelo órgão jurisdicional e as consequências de uma subvaloração para os direitos humanos das mulheres. Por fim, conclui-se pela necessidade de revisão da perspectiva de afetação dos direitos humanos da mulher pela pornografia no mencionado órgão jurisdicional.


Palavras-chave


Pornografia. Violência de gênero. Corte Europeia de Direitos Humanos.

Texto completo:

PDF

Referências


AUSTIN, J. L. Quando dizer é fazer: palavras e ação. Porto Alegre: Editora Artes Médicas, 1990.

BITENCOURT, Cézar Roberto. Tratado de direito penal: parte geral. 17. ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Tradução de Maria Helena Kuhner. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

BOZON, Michel. Sociologia da sexualidade. Tradução de Maria de Lourdes Menezes. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.

BRASIL. Lei n. 11.340, 07 de Agosto de 2006. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11340.htm. Acesso em: 01 maio 2017.

______. Código Penal. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del2848compilado.htm Acesso em: 01 maio 2017.

BRETON, David Le. A sociologia do corpo. 2. ed. Tradução de Sonia M. S. Fuhrmann. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

BUTLER, Judith. Lenguaje, poder e identidad. Tradução e prólogo de Javier Sáez y Beatriz Preciado. Madrid: Editorial síntesis, 1997.

CULTURE REFRAMED. Available in: < http://www.culturereframed.org/the-crisis>. Acesso em: 1.º jun. 2017.

DINES, Gail. Pornland: how porn has hijacked our sexuality. Boston: Beacon Press, 2010.

DWORKIN, Andrea. Pornography Men Possessing Women. Penguin Group, 1989.

DWORKIN, Andrea R.; MACKINNON, Catharine A. Pornography and Civil Rights: a new day for women´s equality. Minneapolis: Organizing Against Pornography, 1989.

DWORKIN, Ronald. O direito da liberdade: a leitura moral da constituição norte-americana. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

ECHOLS, Alice. The taming of the Id: feminist sexual politics, 1968-1983. Vance, Pleasure and Danger. Boston: G. K. Hall, 1983, p. 50-72.

FISS, Owen M. A ironia da liberdade de expressão: Estado, regulação e diversidade na esfera pública. Tradução e Prefácio de Gustavo Binenbojm e Caio Mário da Silva Pereira Neto. Rio de Janeiro: Renovar, 2005.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo dicionário da língua portuguesa, 2. ed. Editora Nova Fronteira, 1986.

FRAGOSO, Heleno Cláudio. Lições de direito penal: parte geral. 16. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2003.

JOHNSON, Paul. Pornography and the European Convention on Human Rights. Porn Studies, 1:3, 315-336, 2014. DOI: 10.1080/23268743.2014.927706

LEWIS, Tom.Vitorian and Modern Legal Responses to Pornography. STEVENSON, Kim; ROWBOTHAM, Judith. Behaving badly: Social Panic and Moral Outrage – Vitorian and Modern Parallels. Aldershot: Ashgate, 2003.

MACKINNON, Catharine. Toward a feminist theory of the state. Cambridge, Massachusetts; London, England: Harvard University Press, 1989.

______. “Pornography, Civil Rights, and Speech” In: ITZIN, Catherine (Org.) Pornography: Women, Violence and Civil Libertities. Ozford University Press, 1992.

______. Only Words. Cambridge, Massachusetts: Harvard University Press, 1996.

NUCCI, Guilherme de Souza. Manual de direito penal. 12. ed. Rio de Janeiro: Gen Metodo, 2016.

OGIEN, Ruwen. Pensar la pornografia. Barcelona: Paidós, 2005.

OXFORD SENIOR DICTIONARY. Senior Dictionary. Oxford University Press, 1981.

PRADA, Nancy Prada. ¿Qué décimos las feministas sobre la pornografia? los orígenes de um debate. La manzada de la discórdia. Jan/Jun, v. 5, 1, p. 7-26, 2010.

PRECIADO, Paul Beatriz. Texto Junkie: sexo, drogas e biopolítica na era farmacopornográfica. N1-Edições, 2018.

RIBEIRO, Raisa Duarte da Silva. Discurso de ódio, violência de gênero e pornografia: entre a liberdade de expressão e a igualdade. Editora Multifoco, 2017.

______. Liberdade de expressão e discurso de ódio. Editora Multifoco, 2018.

RIBEIRO, Raisa Duarte da Silva; BARBOSA, Renata da Silva Athayde; COSTA, Rodrigo de Souza. Pornografia e violência de gênero: instrumentos de proteção da mulher em situação de violência. Revista IBCCRIM, n. 151, p. 417-456, 2019.

ROXIN, Claus. Que comportamentos pode o Estado proibir sob ameaça de pena? sobre a legitimação das proibições penais. In: ______. Estudos de direito penal. 2. ed. Tradução de Luis Greco. Rio de Janeiro: Renovar. 2008.

RUBIN, Gayle. Thinking sex: notes for a radical theory of the politics of sexuality. Vance, Pleasure and Danger. Boston: G. K. Hall, 1983, p. 267-319.

RUSSEL, Diana. Against pornography: the evidence of harm. Berkeley, California: Russell Publications, 1994.

SILVA, Tadeu Dix. Direito penal e liberdade de expressão no estado democrático de direito. São Paulo: IBCCRIM, 2000. v. 15.

TAVARES, JUAREZ. O consentimento do ofendido no direito penal. Revista UFPR. Disponível em: http://revistas.ufpr.br/direito/article/viewFile/7163/5114. Acesso em: 23 out. 2018.

UNITED NATIONS OFFICE ON DRUGS AND CRIME (UNODOC). Global Report in Trafficking. Persons. 2014. Disponível em: https://www.unodc.org/documents/lpo-brazil//Topics_TIP/Publicacoes/GLOTIP_2014_full_report.pdf . Acesso em: 30 set. 2018.

UNITED NATIONS OFFICE ON DRUGS AND CRIME (UNODOC). Global Report in Trafficking. Persons, 2016. Disponível em: https://www.unodc.org/documents/lpo-brazil//Topics_TIP/Publicacoes/2016_Global_Report_on_Trafficking_in_Persons.pdf. Acesso em: 30 set. 2018.

VANCE, Carole S. Placer y peligro: explorando la sexualidade feminina. Madrid: Talasa, 1989.




DOI: http://dx.doi.org/10.18759/rdgf.v20i1.1035

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista de Direitos e Garantias Fundamentais

Licença Creative Commons
Revista de Direitos e Garantias Fundamentais http://www.fdv.br/sisbib/index.php/direitosegarantias está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.